Últimas resenhas

Resenha de Tinta: Um Sedutor sem Coração



Série: Os Ravenels – livro 01
Autor: Lisa Kleypas
Número de páginas: 320
Editora: Arqueiro
Ano: 2018

 PARCERIA ARQUEIRO

Estava eu me sentindo tão órfã da escrita maravilhosa da Lisa depois do final da série Estações do Amor....
E aí ela lança Os Ravenels!

E já começa com tudo!
Os Ravenels são uma família com um condado prestes a falir quando a fila de herdeiros anda e quem assume é o primo Devon, patife e canalha da melhor qualidade, daquele tipo que não assume responsabilidades por uma planta, imagine por terras e pessoas. Mas assim acontece. Juntamente com seu irmão Weston, um inveterado bêbado, visita o Priorado Eversby o qual quer se livrar o mais rápido possível. Mas ao se encontrar com Lady Trenear, viúva de seu primo, descobre que há mais coisas ali do que paredes mofadas e cortinas velhas.
“... Devon se interrompeu quando enfim viu o rosto dela. E se pegou encarando um par de olhos cor de âmbar, que se erguiam de leve nos cantos, como os de um gato. Por um momento, ele não conseguiu respirar nem pensar, pois todos os seus sentidos se esforçavam para absorver a visão da mulher à sua frente.Nunca vira nada como ela.” Pág. 17
Inicialmente você pega um nojinho da pessoa Devon, mas depois é só amor...
Além da viúva, temos as 3 irmãs do falecido: Helen, 21 anos e as gêmeas Cassanda e Pandora, 19 anos. Melhores pessoas desse livro! Ri demais dessas duas.
“... – Ele gosta de Helen – ressaltou Cassandra. – Vejo isso no modo como olha para ela. Como uma raposa espiando uma galinha.” Pág. 281
Depois delas, me encantei por Weston. Uma pessoa que só precisava do estímulo e companhias certas pra virar gente.
Então somente leiam e se deliciem nesse romance docinho da diva Lisa.
Como sempre, temos de tudo na dose certa: amor, drama, humor, cenas quentes e mais amor...sempre!
Em julho, já temos o livro 2, Uma Noiva para Winterborne, e já estou cheia de expectativas.




Palavras de Tinta: Teatro




Ainda faltavam 30 minutos para o início da peça no Municipal, por isso Katrina andava com calma nas ruas próximas ao teatro. Àquela hora, as ruas do centro já estavam vazias, com pouquíssimos carros passando.
Ao virar à esquerda em uma esquina, Kathy, como preferia ser chamada, viu um pouco à frente 2 jovens conversando. Um deles negro, muito alto e com ombros largos deixou Kathy deslumbrada! O outro era um pouco mais baixo, porém ainda alto, loiro com olhos azuis profundos e vermelhos. Aparentemente ambos haviam consumido alguma droga recentemente.
Ela parou, e olhou em sua volta, procurando testemunhas pela rua. Os dois jovens perceberam o olhar dela e imaginaram que o brilho dos seus olhos era de medo. Afinal estavam diante de uma menina baixinha de cabelos escuros e curtos, muito magra e com maquiagem chamativa. Se sentiram excitados e trocando um olhar balançaram a cabeça concordando um com o outro. Avançaram na direção de Kathy que ainda estava parada observando os dois, se perguntando o que fazer.
 O loiro, à direita de Kathy, a enlaçou pela cintura e perguntou próximo ao seu ouvido:
                - O que uma menina tão linda como você faz sozinha por aqui em uma hora como essa?
Kathy o ignorou enquanto olhava para a sua esquerda, por onde o negro havia se aproximado. Devagar, porém firme, ela levantou o braço esquerdo acariciando a barriga e o tórax dele até chegar ao seu coração. Deixou a mão ali por alguns segundos sentindo as batidas ritmadas daquele ser forte e robusto. Deslizou então a mão até seu pescoço instigando-o a beijá-la. Ao mesmo tempo em que ele fechava os olhos para sorver o beijo ardente que receberia, Kathy estava com a outra mão quebrando a traquéia do outro homem, sem partir a carne é claro, para que não sujasse suas bem cuidadas unhas. Os olhos azuis perderam o brilho e o rapaz pendeu sem vida. Kathy o empurrou delicadamente para o lado de modo que ele caísse sem tocar nela ou no amigo.
Ela levou a mão para a cintura de sua vítima e desviou a boca para o pescoço dele, virando sua cabeça fazendo com que ele não visse o amigo caído. Enquanto se perguntava se estava diante de uma puta ou uma doida, o antes suposto atacante, sentiu os dentes dela em seu pescoço. Achando que receberia mais carícias e decidindo qual seria o melhor lugar para concluir o ato, ficou chocado quando sentiu que sua pele havia sido rompida por algo tão fino como uma agulha. Era Kathy que começava a se deliciar com aquele sangue temperado com drogas. O jovem não teve consciência nem mesmo para gritar, estava tão chocado sem entender o que acontecia que nenhum som escapou de sua boca.
 Quando o coração parou de bater Kathy o largou. Assim como o champanhe perde a graça quando não está completamente gelado, o sangue perde a graça quando o coração não bombeia o sagrado líquido. Katrina era uma moça de gostos refinados e delicados.
Do alto de seu salto agulha, sem ter tido um fio de cabelo sequer saído do lugar, ela olhou para o relógio verificando que ainda haveria tempo de assistir à peça traquilamente. Enquanto andava, ela falava:
                - Ambos ainda contém muito sangue. Podem ficar com eles se quiserem. Não me importo, já obtive o que eu desejava.
Se houvesse alguém na rua para testemunhar, observaria pequeninas mãos ávidas puxando os dois corpos para uma área mais escura da rua e o sorriso nos lábios vermelhos da pequena senhorita que se afastava.



Resenha de Tinta: Jardins da Lua



Série: Malazano dos Caídos - Livro 01
Autor: Steven Erikson
Número de páginas: 608
Editora: Arqueiro
Ano: 2017

PARCERIA ARQUEIRO

Um mundo dividido entre o Império Malazano e Cidades Livres, das quais só resta uma, Darujhistan.
Guerras travadas com magia e espadas.
Comandos disputados com intrigas, pactos e sangue.
Uma batalha entre deuses, demônios e homens.
Preparados?
Então senta aí que vou te falar um pouco dessa bagaça toda.

Palavras de Tinta: Desvio




Enquanto colocava a menina para dormir, a mãe conversava com ela:
- Minha filha, nunca, nunca mesmo desvie de seu caminho escolhido quando for para algum lugar. Está certo? Entendeu direitinho?
- Sim, mamãe. – Respondeu a menina. – Boa noite mamãe.
- Boa noite meu anjinho.

Resenha de Tinta: A mulher na janela


PARCERIA ARQUEIRO
AUTOR: A. J. Finn
ANO: 2018
N° DE PÁGINAS: 352

⇰Algumas considerações:
  • Louco...
  • Excelente...
  • Louco de novo...
  • Sensacional...
  • Louca, eu??

Resenha de Tinta: À Margem das Sombras


O MINISTÉRIO DOS BLOGUEIROS E O MUNDO DE TINTA ADVERTEM: ESSA RESENHA É DO LIVRO 2 DE UMA SÉRIE, PORTANTO SE NÃO LEU O PRIMEIRO, PARE!
ENTRE AQUI , LEIA A RESENHA DO LIVRO 1 E DEPOIS VOLTE :)

Série: Anjo da Noite - Livro 02
Autor: Brent Weeks
Páginas: 416
Editora: Arqueiro
Ano: 2017

Masssss se mesmo sendo avisado, você quer ler a resenha do livro 2, vou recapitular a história para você. 

Resenha de Tinta: É Assim que Acaba



Autor: Colleen Hoover
Número de páginas: 368
Editora: Galera Record
Ano: 2018

Ao ver um livro desconhecido, o que mais te instiga a lê-lo? A capa? O autor renomado ou totalmente desconhecido? A sinopse? Todas as alternativas anteriores?
A mim, o que chama muito a atenção é o título. E normalmente vou lendo e tentando entender o porquê dele.
Nesse caso, já imaginei um final trágico do tipo o oposto de “e viveram felizes para sempre”. Mas não imaginei o durante...


Resenha de Tinta: Flores Partidas



Autor: Karin Slaughter
Número de páginas: 400
Editora: HarperCollins Brasil
Ano: 2017

Flores Partidas.
Quando li o título, pensei “que nome estranho para dar a um thriller policial”.
No final eu descobri que nenhum outro seria tão perfeito, por assim dizer.